Como gerenciar o stress e expandir suas capacidades

Como gerenciar o stress e expandir suas capacidades: Artigo de Sophia Figueiró. Integrante da Ensinar.Pro

O estresse, sintoma da modernidade, é uma condição que o ser humano desenvolveu ao longo dos tempos. Porém, apesar de não ser considerado uma doença, pode favorecer o aparecimento de problemas psicofisiológicos e, por isso, precisa ser observado e controlado.

Existem quatro níveis do quadro: alerta, resistência, quase-exaustão e exaustão.
Eles influenciam na qualidade de vida, pois quanto maior for o nível, maior será a deterioração física e psicológica. “Nem todo tipo de estresse é ruim. Há tipos que possuem aspectos construtivos, na medida em que estimulam as pessoas a buscarem a reformulação de vida”. A melhor maneira de lidar com estresse é prevenir-se, através da prática de exercícios físicos, alimentação balanceada, pensamentos positivos, suporte familiar, social e religioso, ioga e exercícios de relaxamento.

Stress
Como gerenciar o stress

O que é stress?

Stress é uma reação do organismo que ocorre quando ele precisa lidar com situações que exijam um grande esforço emocional para serem superadas. Quanto mais a situação durar ou quanto mais grave ela for, mais estressada a pessoa pode ficar. Porém, há meios de se aprender a lidar com o stress de modo que mesmo nos piores momentos o organismo não entre em colapso.

Que sintomas o stress pode criar?

O stress se desenvolve em 4 estágios. Inicialmente a pessoa entra no processo de stress pelo estágio de alerta. Esta é a fase boa do stress, onde produzimos adrenalina e ficamos cheios de energia e de vigor, prontos para, se necessário, varar a noite ou despender grande quantidade de energia se tivermos que lidar com uma emergência.

Durante esta fase, podemos também sentir tensão ou dor muscular, azia, problemas de pele, irritabilidade sem causa aparente, nervosismo, sensibilidade excessiva, ansiedade e inquietação. Caso o que nos causa stress desapareça, saímos do processo de stress sem sequelas. Porém, se o estressor continua ou se algo mais acontece para nos desafiar, podemos entrar no estágio de resistência, que significa a etapa em que tentamos resistir ao stress. 

Stress negativo e positivo: existe stress ideal?

Stress negativo: é o stress em excesso. Ocorre quando a pessoa ultrapassa seus limites e esgota sua capacidade de adaptação. O organismo fica destituído de nutrientes e a energia mental fica reduzida. A produtividade e a capacidade de trabalho ficam muito prejudicadas. A qualidade de vida sofre danos. Posteriormente a pessoa pode vir a adoecer.

Stress positivo: é o stress em sua fase inicial, a do alerta. O organismo produz adrenalina que dá ânimo, vigor e energia fazendo a pessoa produzir mais e ser mais criativa. Ela pode passar por períodos em que dormir e descansar passa a não ter tanta importância. É a fase da produtividade, como se a pessoa estivesse “de alerta”. Ninguém consegue ficar em alerta por muito tempo, pois o stress se transforma em excessivo quando dura demais.

Define-se o estresse como “uma reação psicológica, com componentes emocionais físicos, mentais e químicos, a determinados estímulos que irritam, amedrontam, excitam e/ou confundem a pessoa”

As primeiras características envolveriam um processo metabólico ou sensorial sem a participação de mecanismos cerebrais interpretativos; a segunda seria proveniente do componente aprendizagem, do repertório de condicionamento de respostas que a pessoa acumulou durante a vida.

Quem não encara de frente o problema NÃO SE LIVRA DELE. E passa o resto da vida tomando remédio, usando a comida como fuga, e quanto mais nega o problema, mais ele cresce.

Quantas pessoas estão hoje buscando um jeito de se livrar dos problemas e adoecem e se tornam pessoas tristes?

Aí eu lhe pergunto: Tem como traçar um caminho do ponto A ou ponto B, sem saber o ponto de partida?

É exatamente por esta simples razão que as pessoas sentem-se incapazes em dar o primeiro passo, em caminhar na direção certa.  O GPS do seu carro para lhe dar a rota do endereço desejado, precisa que você informa a localização atual. Na falta de uma dessas duas informações é impossível traçar um caminho. 

Para que GPS do seu cérebro possa traçar um caminho  para chegar ao estado desejado, ela precisa também saber o estado atual 

O tamanho do problema de uma pessoa é a distância entre o ESTADO ATUAL e o ESTADO DESEJADO.

Mas definir o  ESTADO ATUAL é uma parte mais delicada porque envolve amadurecimento psicológico para aceitar quem somos.

O “Estado Desejado”, que é o sonho de grandeza,  é fácil de construir porque sonhar é pensar em coisas boas e imaginar como vai ser gostoso concretizar os objetivos, ouvir elogios e sentir a sensação de vitória e tudo mais que a conquista proporciona.

No entanto, a definição do “Estado Atual”, que é da dura realidade, é algo que causa incômodo.

Você deve estar se perguntando: porque não é fácil encarar a dura realidade?

E isto acontece por quatro motivos:

  1. A auto percepção distorcida é o ponto mais grave de todos, pois é a ausência de perceber a necessidade de uma nova visão. A ignorância é escravizante porque não permite escolhas.   A pessoa passa o resto da vida estagnada sem perceber o impacto negativo do seu comportamento nas outras pessoas e permanece na ilusão de uma autoimagem distorcida sem chances de melhoria.
  2. O medo de não ser aceito leva a mostrar somente o admissível, o aceitável, o louvável e a esconder o condenável.
  3. A vaidade e o orgulho impedem de tirar as máscaras, aceitar o egoísmo, os vícios e aquela maldadezinha escondida a sete chaves. O ego quer “sair bem na foto” – quer mostrar o seu melhor.
  4. Comodismo: Operar uma mudança dá trabalho, o melhor é negar a necessidade em se melhorar para não assumir responsabilidade. O benefício do vício é maior do que a dor de tocar na ferida.

E caso esta parte incômoda não seja vencida, o preço é viver na ilusão de si mesmo tornando a vida um grande teatro, onde se vive apenas uma representação com as máscaras da personalidade.

Na medida que o sujeito aceita seus pontos fracos fica mais fácil desenhar o plano de ação para construir uma ponte entre o estado atual e o estado desejado.

É importante que SE SINTA CONFORTÁVEL enquanto pensar nessa possibilidade de se aceitar porque  será o ponto de partida para conseguir realizar grandes feitos, conquistar a liberdade de ser o que quiser ser … .de se reconstruir … .se refazer….Reescrever a própria história.

Como fazer isso?

Para aliviar o estresse é importante diminuir as pressões externas, encontrando alternativas para que o trabalho ou o estudo possa ser realizado de forma mais tranquila. Também é indicado encontrar o equilíbrio emocional, sendo capaz de administrar melhor o tempo entre trabalho, família e dedicação pessoal.

Buscar apoio em outras pessoas como um bom amigo, ou até mesmo um psicólogo, também pode ser uma boa estratégia para viver os dias com mais qualidade e menos estresse.

Como gerenciar o stress ? O que você pode fazer por você?

1. Praticar exercícios

Investir em, pelo menos, 30 minutos diariamente para fazer algum tipo de exercício físico traz benefícios para as emoções, um tempo para pensar nos problemas e encontrar estratégias para solucioná-los, diminui a quantidade de cortisol, que é um hormônio ligado ao estresse, e ainda libera endorfinas na corrente sanguínea que promovem o bem-estar. 

Os exercícios mais indicados são os aeróbicos e os menos aconselhados são os de competição porque podem agravar o estresse. É possível começar com caminhadas na rua, na praça, na praia ou andar de bicicleta, por exemplo, mas se for possível, matricule-se numa academia de ginástica para se sentir mais motivado em tornar esse hábito frequente.

2. Comer os alimentos certos

Banana, nozes e amendoim são alguns exemplos de alimentos que promovem o bem-estar físico e por isso deve-se investir no seu consumo diariamente, aumentando a quantidade, sempre que estiver cansado ou estressado. Os alimentos ricos em ômega 3, como salmão, truta e sementes de chia, também são excelentes opções porque melhoram o funcionamento do sistema nervoso, diminuindo o estresse e o esgotamento mental.

3. Descansar

O cansaço físico e mental é um dos desencadeantes do estresse e da ansiedade, por isso ter tempo para conseguir descansar todas as noites é uma grande ajuda para desestressar. Aproveitar os fins de semana para conseguir relaxar um pouco e descansar também pode ajudar, mas se isso não for suficiente, pode ser preciso tirar alguns dias de férias de fim de semana a cada 3 meses, num local que goste e que possa descansar tranquilamente.

As massagens também podem ajudar a combater a tensão muscular, trazendo alívio para a dor nas costas e a sensação de peso na cabeça e no pescoço.

4. Investir em calmantes naturais

Os ansiolíticos só devem ser tomados quando indicados pelo médico, no entanto existem diversos remédios naturais à base de plantas medicinais que podem ser úteis para ajudar a acalmar o sistema nervoso. Alguns exemplos são as cápsulas de valeriana ou maracujina e os chás de lavanda ou camomila, que quando ingeridos regularmente podem ajudar a ter uma noite de sono reparador. Pingar 2 gotas de óleo essencial de lavanda no travesseiro, também pode ajudar a acalmar e dormir com mais facilidade.

Quando estes parecem não ser suficientes para controlar o estresse ou a ansiedade, deve-se ir ao clínico geral para que ele possa investigar a necessidade e recomendar o uso de antidepressivos, por exemplo.

5. Fazer terapia

As técnicas de relaxamento podem ajudar a acalmar e encontrar novamente o equilíbrio emocional, por isso, pode ser uma boa ideia procurar um psicoterapeuta quando achar que não consegue vencer seus problemas emocionais sozinho.

Este profissional poderá indicar algumas estratégias para se acalmar e irá promover o autoconhecimento, que é de grande ajuda para conseguir determinar o que a pessoa realmente deseja. Assim ela poderá encontrar o caminho para solucionar os problemas.

6. Ter tempo para o lazer

Também pode ser útil encontrar algum momento para se dedicar ao lazer, estando ao lado de pessoas que realmente goste. Por vezes basta andar alguns minutos descalço na grama ou na areia da praia, pois alivia a tensão e atua com um tipo de massagem nos pés.

7. Administrar melhor o tempo

Além disso tudo, uma outra estratégia que ajuda muito no combate aos estresse é administrar melhor o tempo definindo tarefas, objetivos e prioridades. Por vezes, esta tarefa pode ser a mais difícil de atingir, mas dar pequenos passos de cada vez pode ser mais eficaz do que ficar esperando uma solução que nunca virá. 

Se a pessoa adotar estas estratégias poderá sentir diferença, alcançando melhora dos sintomas de estresse e ansiedade como dor de cabeça frequente, cansaço e desânimo, em cerca de 10 dias. No entanto, a pessoa pode se sentir melhor logo depois de praticar exercícios e ao dormir uma boa noite de sono.

8- Prática regular de meditação

Isso porque a prática consiste na capacidade de estar consciente e aberto à experiência presente, ou seja, tenta-se alcançar um estado de atenção plena. Essa habilidade é desenvolvida através de práticas de meditação específicas (chamadas de meditação mindfulness). 

Meditar é também um exercício de entrega e desapego da mente identificada com o ego negativo. É saber se livrar da ilusão causada pelas memórias de experiências passadas e já cristalizadas. Você deve se desapegar até da ideia de conseguir. Meditar é uma verdadeira prova de amor próprio.

Medite. Ache a técnica e o lugar mais apropriado para você chegar lá, e tenha mais equilíbrio, saúde, bem-estar geral e mil outras possibilidades de benefícios reais. Passamos quase o tempo todo dizendo que estamos exaustos, que queremos parar tudo e descansar, que a vida está muito estressante, que tudo está muito rápido, que queremos um pouco de paz. Mesmo assim nos mantemos ligados na TV, nos computadores ou nos celulares, na primeira oportunidade de relaxamento. Vamos parar de reclamar e agir em direção às nossas verdadeiras necessidades? Silêncio! Só isso, nada mais. E o nada se transformará em tudo que realmente precisamos: silêncio!

Essas estratégias de recomposição englobam quatro aspectos: cognitivos, físicos, emocionais e de consciência.

Cognitivos – crenças e pensamentos;

Físicas – exercícios e dieta saudável;

Emocionais – conhecer suas emoções e seu comportamento;

Consciência – exercitar e relaxar sua mente. 


Conheça os cursos Ensinar.Pro

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras